Há 17 anos nascia um sonho brasileiro

Um sonho que surgiu como um brado de liberdade, de fazer um lugar em que pudéssemos nos abraçar, nos restaurar num contato prazeroso com o outro e com o planeta. Surgia o – Brasador, porto seguro em mares bravios, local de encontro e congraçamento de todas as tribos, todas as brasilidades, à volta de nossa grande mesa, acolhedora de todos os – brasões, inclusive os que não existem e estão por ser inventados… brasador, da bragantina, da bragatinga, da bracajanambi, da braúna, das espécies nativas todas dessa nossa imensa natureza brasuca, verde-vértebra original de dinastias como a minha, a sua, a de bragança, de origem latina brigantia, talvez derivado do céltico briga, ‘fortaleza’, ou talvez de brigantes, nome de tribo nos remotos amazônicos… O original francês Briançon tem o mesmo significado, o que nos remete à pluralidade e universalidade de um só abraço: BRASADOR